Compliance na experiência do cliente: como integrar essas duas áreas?

Postado em  janeiro 20, 2022

Com medidas cada vez mais rigorosas para o controle dos dados gerados por clientes, existe um mito entre o compliance e a experiência do usuário. Isso porque existem algumas boas práticas que devem ser seguidas para que essas duas áreas sejam integradas da maneira correta.

Portanto, é preciso desmistificar a ideia de que integrar compliance na experiência do cliente não é possível. Além disso, é necessário conhecer algumas das boas práticas que podem fazer com que os usuários enxerguem mais valor nas empresas que eles consomem.

Quer saber como fazer a integração do compliance na experiência do cliente? É sobre esse assunto que falaremos nas próximas linhas Então, continue a leitura!

O desafio de integrar o compliance na experiência do usuário

No atual mundo digitalizado e conectado, o levantamento de dados é um dos ativos mais importantes. Ele permite que empresas possam garantir uma competitividade no mercado que está cada vez mais acirrado. E os negócios que ainda não entenderam como podem fazer um bom uso dos dados coletados de seus clientes, podem ficar para trás.

No entanto, os dados absorvidos por diversas empresas são, em boa parte, confidenciais. Por isso, se usados de maneira incorreta, podem comprometer a privacidade de seus clientes. Dessa forma, é fundamental entender como o compliance pode ser usado na experiência do usuário.

Logo, é preciso criar uma maneira de garantir que os valores da marca estejam alinhados ao objetivo de conferir uma vivência mais inovadora aos clientes, e com processos mais automatizados. Entretanto, existem fatores que devem ser pensados para que essa prática não seja considerada invasiva.

A política e os critérios de segurança no ambiente empresarial devem estar muito bem estabelecidos para fornecer a proteção de dados necessária. E mais, permitir a otimização da comunicação com os clientes. Com uma política de compliance, a empresa consegue garantir o cumprimento de regras estabelecidas para proteger os clientes e os colaboradores do negócio.

Portanto, o compliance na experiência do usuário tem como foco alinhar a utilização de dados pessoais relevantes às novas exigências de segurança e de proteção de dados.

Outro ponto que faz com que essa preocupação seja ainda mais relevante é a implementação da LGPD — Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais. Ela estipula regras e normas para utilização de dados de clientes, além dos procedimentos necessários para garantir a segurança e integridade dos dados armazenados.

A importância do compliance na experiência do usuário

Com o correto levantamento de dados, uma empresa pode aprimorar e melhorar muito a experiência dos usuários. Afinal, com dados e informações relevantes fica muito mais fácil entender o cliente. Isso inclui saber seus desejos e necessidades para poder guiá-lo por uma jornada de compras mais agradável e facilitada.

Portanto, as empresas devem cumprir as regras de gestão desses dados e estabelecer parâmetros mais eficientes das estratégias empresariais. Sempre respeitando a privacidade do consumidor quanto à segurança de seus dados pessoais. Confira, a seguir, algumas maneiras de garantir o compliance na experiência do usuário. Vamos lá!

Transparência nos serviços produtos

A transparência na comunicação entre clientes e empresas é um fator determinante para o sucesso de um empreendimento. Portanto, as empresas não podem negligenciar essa etapa da comunicação. Os processos de vendas e de marketing não podem falhar ao oferecer total transparência aos consumidores.

As empresas devem deixar claro sobre a política de uso de dados do negócio. É preciso dizer como eles serão fornecidos por seus consumidores e utilizados, e para qual finalidade serão destinados.

Todos os sites disponibilizados na internet são obrigados a informar sobre o uso de cookies, por exemplo. Fica a critério dos usuários ler o termo de privacidade para aceitar ou não a utilização de seus dados.

Imparcialidade na opinião dos clientes

A capacidade de oferecer um conselho imparcial e de alta qualidade é a porta de entrada para ter um bom relacionamento com clientes leais e que confiam na marca. As empresas devem se esforçar mais para fornecer informações reais sobre seus produtos e práticas de negócios. Esses são fatores que influenciam diretamente na percepção dos consumidores.

Quando os consumidores sabem sobre a intenção das empresas, bem como a capacidade de influenciar nas suas ações, fica mais fácil solicitar dados para oferecer processos automatizados. Ou seja, disponibilizar serviços e produtos baseados nas necessidades e desejos dos clientes.

Controle da interação

Após aderir a uma política de compliance na experiência do usuário, é preciso realizar um monitoramento constante dessa interação. Portanto, é preciso revisar os processos e saber se, de fato, os dados armazenados estão sendo utilizados de acordo com a política interna e com a legislação específica de segurança.

Esse controle indicará novos caminhos sobre o andamento da estratégia. Caso haja necessidade de alteração, será possível analisar as melhores maneiras de fazer a mudança necessária. Caso seja constatado que o seu negócio caminha na direção certa, basta fazer as otimizações necessárias para melhorar ainda mais os resultados obtidos.

Para empregar corretamente o compliance a uma estratégia eficiente de experiência do usuário, existem ferramentas que podem auxiliar nessa complexa, mas importante tarefa.

O OneShare é um gerenciador de arquivos com armazenamento na nuvem e permite o compartilhamento dos dados de maneira segura. Além disso, fornece todos os cuidados relacionados à LGPD.

O compliance não deve ser visto como uma barreira para a experiência do usuário, pelo contrário. Com consumidores cada vez mais preocupados com a maneira com que empresas utilizam os seus dados, é fundamental garantir uma integração entre Compliance e CX (Customer Experience).

Logo, seguir algumas das dicas apresentadas neste artigo pode conferir maior credibilidade e transparência para a sua marca. Portanto, seja transparente em relação à política da empresa e sobre os produtos ofertados. Informe sobre a imparcialidade na tomada de decisão dos clientes e faça o correto controle da integração do compliance na experiência do cliente, com análises precisas.

Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto ou quer esclarecer qualquer outra informação, entre agora mesmo em contato com a nossa equipe para sanar qualquer dúvida.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.